GENEALOGIA BRASILEIRA
Estado do Rio de Janeiro - Povoadores da Região Serrana

Família: BARROS

                                       Lênio Luiz Richa (lenioricha@yahoo.com.br)

 

 

          Cap. Luís Monteiro da Silva, solicitou sesmaria em Cantagalo em 1791. Em 1818 os três herdeiros a seguir, provavelmente sobrinhos ou genros, solicitaram confirmação da sua sesmaria São Martinho do Ribeirão do Macuco (vizinha de João Lopes Martins e da sesmaria do Ribeirão Dourado): (AN, BN e Cr).

1.1 Sargento mor Manuel Rodrigues de Barros.

1.2 Capitão-tenente Francisco Rodrigues de Barros.

1.3 Sargento mor José da Costa Araújo Barros, fazendeiro no Rio Macuco de 1820 a 29, que vendeu terras na Sesmaria São Martinho do Ribeirão do Macuco ao padre Antônio João de Lessa, o qual registrou em 1855. Teve pelo menos (AP, BN, TC.II.48 e 163): 

2.1 Manuel da Costa Barros, cc. Joaquina Maria da Conceição Vila, com pelo menos (Ig):

3.1 Professor Manuel da Costa de Araújo Barros, n. Rio, professor público e fundador do Colégio Barros em Macuco, em 1882 (transferido para Cantagalo em 1910), cc. Maria Rosa Robin de Barros, n. RJ, f. de Luís Robin e Felismina Robin, com pelo menos (Ig, TC.II.119, 140 e 163):

4.1 Leonor Barros, professora, f. 1956, Cantagalo, solteira. (O Sobrado, fls. 39 e TC.II.165, 171 e 178).

4.2 Cora Barros, professora.

4.3 Laura Barros, n. cerca de 1884, São Francisco de Paula, RJ, c. 1909, com Leonel Simeão Eyer, n. cerca de 1882, Cantagalo, f. de João Francisco Eyer e Carolina Mayer Eyer, brasileiros (Ig).

4.4 Dulce Barros, n. 1896, Macuco, professora, que em 1949 lecionava em seu colégio em Cantagalo, para cerca de 60 alunos, da 1ª à 4ª séries, entre os quais estava o autor desta página.
          Cc. o professor Sílvio Lutterbach (2ª esposa), n. 1892, na Chave do Lontra, Cantagalo, onde f. 1953, f. de Antônio Monnerat e Albertina Pinheiro Lutterbach, com geração em O Sobrado, fls. 229 (Ig e Valores Cantagalenses, fls. 85).

4.5 Sílvia, n. 1899, Macuco (Ig).

4.6 Silvina, gêmea de Sílvia.

                                                           ENCAIXAR

         

     3.  Manoel Rodrigues de Barros, cc. Elvira Meira Barros, tiveram muitos filhos, que ficaram por Cantagalo e Cordeiro, entre eles, os dois mais jovens: (Gentilmente enviados pelo Sr. David da Silva Barros, bisneto do casal).
- Obs.: Não confundir com os pais do Sr. Martinho Rodrigues de Barros, do cinema, porque consta que aqueles eram: ele português e ela, descendente de alemães.

     4.1 Eduardo Barros, n. 1908, cc. Geralda, n. 1920, que foram para Niterói.

     4.2. Américo Rodrigues de Barros, n. 1913, cc. Laura de Almeida Barros, n. 1921, Portugal.

 

Ir para: Página Principal,    Índice Geral,    Imigração árabe,    Títulos Perdidos,      Tiradentes    Batch Number,     Códigos e Bibliografia