GENEALOGIA BRASILEIRA
Estado do Rio de Janeiro - Povoadores da Região Serrana

Família GUERREIRO BOGADO

                               Lênio Luiz Richa (lenioricha@yahoo.com.br)

 

 

          Francisco Guerreiro Bogado, n. por volta de 1779 no Alentejo ou Braga, Portugal, f. 1810, Cantagalo, RJ, veio para o Brasil ainda moço.
          Meirinho da Superintendência, da Casa da Real Permuta do Ouro e da Real Fazenda da Província. Chegou ao arraial de Cantagalo em 1794, com os primeiros mineradores, estabelecendo-se no Córrego do Oliveira, afluente do Rio Macuco. Era f. de André Bogado e Maria Guerreira, naturais de Ourique, bispado de Beja, Portugal.
          Casou em 1804, Cantagalo, com Francisca Luísa Maria de Andrade de Figueiredo e Castro, n. Ouro Preto ou na Vila do Príncipe, do Serro Frio, Minas Gerais, já f. 1856, f. de Manuel Ferreira de Castro, n. Ourique, e Caetana Eufrásia de Figueiredo, n. Nossa Senhora da Conceição, da Vila do Príncipe, do Serro do Frio, MG.
          Francisco Guerreiro foi padrinho de batismo em Cantagalo em 1800 e 1801 e era afazendado no Ribeirão do Macuco, onde os sucessores do casal eram vizinhos da Fazenda do Monte Alegre, do Tenente Antônio Machado Botelho em 1856. (AP, CBG, DFB, HB, TC.I.31, 222 e 336):
          Foi pai de:

1.1 Tenente coronel João Guerreiro Bogado, b. 1804, Cantagalo (padrinho: Superintendente João Pinto da Cunha e Souza), já f. 1882, comendador, juiz de paz em 1848, subdelegado em 69 e cafeicultor, integrou a comissão para construção da Igreja Matriz de Cantagalo, onde c. 1ª vez, 1831, com Maria Madalena da Conceição, da mesma cidade, f. de Felisberto José do Carmo e Maria Benedita da Rocha (em Carmo), de cujo matrimônio não encontramos descendentes. Testemunhas deste 1º casamento: João de Souza Rosa e João Pinto de Moraes Sarmento.
          O tenente coronel fez os seguintes registros em 1855: 

          Tenho duas situações em São Sebastião do Alto, a Queira Deus e a Paraíso (vizinhas de Fortunato dos Santos Gomes, da Sesmaria de Antônio de Faria Salgado, das Fazendas São Manuel, de Adolfo Kuenzi e do Oriente, de João Lopes Martins), as Fazendas Nossa Senhora da Oliveira, em Macuco, comprada de Firmino Alves de Oliveira (vizinha de Maria Genoveva da Purificação e dos herdeiros de Antônio Pereira de Siqueira) e São Primo, comprada ao padre João Ferreira Almada (vizinha ao comendador Manuel Teixeira de Souza Júnior e aos herdeiros do finado Luciano Coelho de Magalhães) (AP).
          Era ainda cafeicultor no Bom Retiro, Euclidelândia (vizinho de Antônio Lopes do Couto e de Francisco Coelho), e possuiu também as Fazendas Boa Esperança, São João, Vale da Trindade e Bomfim do Quilombo, no Carmo (esta vizinha a Davi José da Silva, Antônio José Pacheco, João Henriques Monteiro e Vicente Ubelhart, foi vendida a Sabino José de Santana, que a registrou em 1856.

          C. 2ª vez, 1835, na Fazenda do Macuco, com Maria Justina da Purificação Bitencourt Oliveira, n. 1810, Santa Rita, Rio da Pomba, MG, f. com inventário, 1900, Macuco, ainda dona da Fazenda Nossa Senhora da Oliveira, que deixou aos herdeiros. Era f. de Francisco José de Oliveira, n. Portugal, e Maria Genoveva da Purificação Bitencout, n. Rio Pomba, MG, f. 1889, Macuco, RJ, nm. de Boaventura Bittencourt Godinho e Maria Joaquina da Purificação, com pelo menos 10 filhos: Testemunhas deste 2º casamento: João Lopes Martins e Manuel Ferreira da Rocha (AL, CBG, CE.223, HB, Ig, MJ, TC.I.222 e II.132).    

2.1 Cap. Francisco Guerreiro Bogado, Chiquinho, n. 1827, f. 1910, na Fazenda da Oliveira, destaque social em 1870, cafeicultor na Fazenda Boa Esperança, em Euclidelândia, de 79 a 90 e em Cantagalo de 69 a 85.
          Em 1846 vendeu a Fazenda Macuco (vizinha de Antônio Machado Botelho, Manuel Teixeira de Souza Júnior e Modesto Alves Vieira), a Luís José da Silva, cuja viúva, Maria Lopes Teixeira, registrou em 1855, em Cantagalo (AL, AP, CBG, DBB, Ig e TC.2.132).
          C. em 1861, Cantagalo, com Ambrosina Maria de Magalhães Bogado, b. 1847, f. do Comendador Francisco Coelho de Magalhães e Clara Maria dos Prazeres Lopes Martins, depois Magalhães (em Coelho de Magalhães), com pelo menos: (AL, Ig e TC.II.132).

3.1 Alfredo Aníbal de Magalhães Guerreiro Bogado, n. 1863, Euclidelândia, "b. 1862?", no oratório da Fazenda da Oliveira, Macuco ou Euclidelândia, agente dos Correios (em Cantagalo?) em 1922, c. 1886, Euclidelândia, com Virgília Arcângela da Cunha, depois Bogado, n. 1872, f. de João José da Cunha Sobrinho e Basília Maria (Ig).

3.2 Eulina de Magalhães Guerreiro Bogado Leite, Sinhá Eulina, n. 1864, Euclidelândia, f. 1942, Niterói, c. 1881, Santa Maria  Madalena, com Francisco José Leite Júnior, Chico Leite, n. 1868 ("b. 1849?"), Trajano de Morais, f. de Francisco José Leite e Leocádia Cândida Freire Leite (em Silva Freire), com 5 filhos: Abelardo, Lucila, Olinto, e ainda:

4.1 Oswaldo, provavelmente o mesmo Doutor Oswaldo Bogado Leite, Médico, que assinou Atestado de Óbito em Monerat, em 1924, c. no final dos anos 20, com Maria Augusta Moncada Leite (Dona Guguta), n. na Fazenda São Tomé, em Duas Barras, f. de Eduardo e Regina Moncada, com geração. (Ig e Revista Visão, nº 5, fls. 22).

4.2 Nair. Provavelmente a mesma Nair Bogado Leite, cc. Demerval da Silva Freire, f. do doutor Américo da Silva Freire e Ambrosina da Silva Freire, com geração na família Silva Freire (MB.107).

3.3 Honorina de Magalhães Bogado Freire, Tia Pequena, n. e b. 1867, Santa Maria Madalena, Cantagalo, f. 1970, com 102 anos, c. 1894, na Capela de São João Evangelista da Ventania, Santa Maria Madalena, com seu primo João Guerreiro da Silva Freire, Joanico, lavrador, n. 1867, Santa Maria Madalena, f. de Francisco Luís da Silva Freire Júnior e Maria Luísa de Figueiredo Bogado, depois da Silva Freire, com geração na família Silva Freire. Testemunhas: Eulália Bogado Leite e João Norberto da Silva Freire (Bar, DBB, Ig e Sar).

3.4 Francisco Guerreiro Bogado Filho, Bogadinho, b. 1869, Euclidelândia, lavrador, c. 1909, Santa Maria Madalena, com sua prima, Palmira da Silva Freire, depois Bogado, n. RJ, f. de Francisco Norberto da Silva Freire e Cândida de Sampaio da Silva Freire (em Silva Freire), brasileiros, com pelo menos: Osvaldo, n. 1919, em Macuco, e ainda: (DBB, Ig e Sar).

4.1 Nair Freire Bogado (depois, Nair Freire Bogado Guarabyra), n. 1916, na Fazenda das Oliveiras, Macuco, c. no Rio de Janeiro, com Murillo Nery Guarabyra, com 2 filhas: Maria Luiza e Maria Lucia. (Informações gentilmente enviadas pelo Sr. Roberto Duarte).

4.2 Lucilla Freire Bogado (depois, Lucilla Bogado Duarte), n. 1918, na Fazenda das Oliveiras, Formada em Contabilidade, cc. o Major Luiz Baptista Duarte Filho, n. Avanhandava, SP, f. de Luiz Baptista Duarte e Emília Cândida de Jesus, com Ricardo Luiz e Roberto Luiz. (Informações gentilmente enviadas pelo Sr. Roberto Duarte).

3.5 Antônio Guerreiro Bogado (LP).

3.6 João Orlando de Magalhães Guerreiro Bogado, b. 1872, Euclidelândia.

3.7 Abelardo de Magalhães Guerreiro Bogado, que pode ter falecido criança.

2.2 Maria Luísa de Figueiredo Guerreiro Bogado, depois da Silva Freire, Tia Maricota, já f. 1906, c. 1857 ou 58, Cantagalo, com Francisco Luís da Silva Freire Júnior, fazendeiro em Ventania, São Francisco de Paula, já f. 1895 (o casal foi padrinho de batismo em Conceição de Macabu, RJ, antes de 1900), f. de Francisco Luís da Silva Freire e Guilhermina Umbelina da Encarnação, com geração na família Silva Freire (AL, CBG, DBB, Ig e MP).

2.3 Francisca Luísa de Figueiredo Guerreiro Bogado, depois Freire, a Tuca, n. 1839, f. 1910, residente em Macuco, c. 1860, Cantagalo, com Coleto da Silva Freire, b. 1837, Cantagalo, f. do Cap. Manuel Joaquim da Silva Freire e Ana Cândida de Almeida Teixeira ou de Oliveira Freire, com geração na família Silva Freire. (AL, CBG, DBB, Ig, MB.105 e TC.II.132 e 281).

2.4 Júlia Luísa de Figueiredo Guerreiro Bogado, Baronesa de Rimes, c. 1864, Cantagalo, com Manuel Antônio Cláudio Rimes, Barão de Rimes, f. de Francisco Rimes e Madalena Helena Genelhoud Rimes, com geração na família Rimes (AL, GL.8.296, Ig, Int, MB.111 e TC.II.363).

2.5 Antônio Guerreiro Bogado, Antonico, n. Cantagalo, f. Niterói, após 1935, destaque social em 1870, fazendeiro, c. em Santa Maria Madalena, com Idália de Castro Bogado, n. São Francisco de Paula, f. de Joaquim Barbosa de Castro e Souza e Maria Joaquina da Silva, com pelo menos: Tancredo, n. 1889, Laura, a tia Laurita, n. 1891, ambos em Nova Friburgo, Sílvio, o tio Nhonhô, Álvaro, o tio Vevelho, Idália, a tia Zizinha. (AL, Ig e TC.I.336). 

3.1 Inah de Castro Bogado Lima, n. Santa Maria Madalena, onde c. 1902, com Mário de Souza Lima, n. da mesma cidade, f. de Firmino de Souza Lima e Joaquina de Castro e Silva Lima. Testemunha: Artur da Silva Castro. Com geração na família Souza Lima (DBB e Sar). 

3.2 Rubens de Castro Bogado, cc. Dolores de Souza Lima Bogado, f. de Firmino de Souza Lima e (...), com geração.

2.6 João Guerreiro Bogado, n. 1835, f. 1836.

2.7 Eulália Luísa de Figueiredo Guerreiro Bogado, Lainha.

2.8 Laura Luísa de Figueiredo Guerreiro Bogado, depois Torres, c. 1866, Cantagalo, com Manuel José Rodrigues Torres Sobrinho, n. Porto das Caixas, RJ, capitalista, residente em Nova Friburgo, f. do Dr. Bernardino José Rodrigues Torres e Maria Emília Torres, np. de Manoel José Rodrigues Torres e Emerenciana Maria Matildes da Conceição Torres, com pelo menos (CBG, DBB e Ig):

3.1 Antônio Joaquim Rodrigues Torres, n. 1848, Porto das Caixas, Itaboraí, RJ, do Corpo de Engenheiros do Exército Brasileiro, na Guerra do Paraguai. (Coleção Brasiliana).

3.2 Cândida Torres Rimes, n. Cantagalo, c. Nova Friburgo, com seu parente, o doutor Aurélio de Figueiredo Rimes, Magistrado, n. Cantagalo, f. de Manuel Antônio Cláudio Rimes, Barão de Rimes, e Júlia Luísa de Figueiredo, Baronesa de Rimes, com geração na família Rimes (CBG, Ig, QT e MB.111).

2.10 João Guerreiro Bogado (outro), provavelmente o do mesmo nome, fazendeiro, já f. 1906, cc. Maria Isabel Rodrigues Torres Bogado, dona da Fazenda da Glória, em Macuco, com pelo menos: João, Oscar, Júlia, Carlos, Álvaro, e ainda: (AL e Ig).

3.1 Mário Guerreiro Bogado, lavrador na Fazenda da Glória, Macuco, que em 1903, foi declarante do nascimento de Marina, filha de Bernardino Torres Guerreiro Bogado e, em 1904, de outro nascimento (Ig).

3.2 Tancredo Guerreiro Bogado, n. RJ, lavrador, cc. Idalina Bravo Bogado, b. 1883, Trajano de Morais, f. de José Antônio Pereira Bravo, fazendeiro em São Francisco de Paula, e Maria Luísa de Lanes Bravo (em Pereira Bravo), com entre outros: Eglair, n. 1906 (padrinho: Eudoro Lopes Martins), Maria José, n. 1908, Isa, n. 1914, Télio, n. 1915, todos na Fazenda da Glória, Macuco (domicílio do pai). (AL e Ig).
- Obs.: Tancredo Guerreiro Bogado e João Guerreiro Bogado atestaram óbito ocorrido na Fazenda da Glória em 1897 (Ig).

1.2 Tenente Coronel Francisco Guerreiro Bogado, n. 1805, b. 1806, Cantagalo (padrinho: tenente coronel Francisco Cláudio Pinto da Cunha e Souza), crismado em 1811, pelo Bispo José Caetano da Silva Coutinho, quando este foi a Cantagalo. 
          C. 1830, na Matriz da mesma cidade, com Maria Francisca da Conceição, menor em 1822, f. de Felisberto José do Carmo e Maria Benedita da Rocha (em Carmo), com pelo menos (CBG, DBB e HB): 

2.1 Francisca Guerreiro Bogado ou de Figueiredo Lantimant, c. 1858, Cantagalo, com Ladislau José Lantimant, f. de José Lantimant e Veronique Gachet Lantimant (Verônica), Suíços, residentes em Nova Friburgo, RJ, com pelo menos (AP, DBB, HB e Ig):

3.1 Presciliana Ilídia Lantimant Freire, n. 1868, RJ, c. 1884, Euclidelândia, com Epaminondas da Silva Freire, n. 1862, São Sebastião do Alto (1ª esposa), onde residiu na fazenda Monte Verde, f. de Joaquim Higino da Silva Freire e Joaquina Gonçalves Lima da Silva Freire, com geração na família Silva Freire. (Bar, DBB e Ig).

3.2 Maria Francisca Lantimant Herdy, já f. 1916, c. São Sebastião do Alto, com Antônio Inácio Herdy, lavrador, brasileiro, f. de Lourenço Herdy e Maria Carolina Herdy, com pelo menos (Ig):
- Obs.: Vide Matildes Ilídia, adiante.

4.1 Bolívar Lantimant Herdy, n. 1890, f. 1891, na situação São Joaquim, do seu pai, em Macuco.

4.2 Idalina Lantimant Herdy, n. 1891, na situação São Joaquim.

4.3 Presciliana Herdy da Silva, n. RJ, cc. Otaviano Pereira da Silva, n. RJ, lavrador, f. de Antônio Pereira da Silva e Maria Clementina Pereira da Silva, brasileiros, com geração em Macuco. (Ig).

4.4 Valínia Herdy Freire, cc. Waldemar da Silva Freire, f. de Epaminondas da Silva Freire e Presciliana Lantimant Freire (em Silva Freire), com geração em Macuco.

3.3 Artur Guerreiro Lantimant, n. RJ, c. Euclidelândia, com Inês Elídia Lantimant, n. RJ, f. de Tertuliano Lantimant e Presciliana Lantimant, com pelo menos (Ig):  

4.1 Agostinho Hermes Lantimant, n. 1892, na Fazenda São Joaquim, Macuco, lavrador e comerciante, cc. Laurides Vitória Lantimant (e/ou Luísa Menezes Lantimant, que seria a mesma ou irmã dela), n. RJ, f. de Francisco Alípio de Menezes e Elisa Vitória de Menezes, com pelo menos:

5.1 Celso, n. 1921, na Fazenda Boa Vista, Macuco (filho de Laurides).

5.2 Léa, n. 1923, Macuco (filha de Luísa).

3.4 Ladislau Guerreiro Lantimant, n. RJ, negociante em Macuco, cc. Ana de Abreu Lantimant, n. RJ, f. de Emídio de Abreu Santos, hoteleiro em Cantagalo, e Januária Francisca de Abreu, com pelo menos: Diná, n. 1901, Macuco.

3.5 Matildes Ilídia Lantimant Herdy (hipótese), brasileira, já f. 1915, cc. "seu cunhado" Antônio Inácio Lourenço Herdy (ou Antônio Inácio Lemgruber Herdy), n. 1850, Euclidelândia, f. 1936, Macuco, com pelo menos (Ig):
- Obs.: Vide Maria Francisca Lantimant Herdy, acima.

4.1 Euclides Lourenço Lantimant Herdy, lavrador, n. RJ, cc. Ana Maria da Costa Souza Herdy, n. RJ, f. de José Xavier de Souza e Esmeralda da Costa e Souza (em Xavier de Souza), com pelo menos (Ig):

5.1 Matilde Herdy, n. 1911, Macuco.

5.2 Silas, n. 1912, no Sítio Queira Deus, Macuco.

5.3 Paulo, n. 1913, Macuco. Declarante: Eduardo Figueiredo.

5.4 Eunice, n. 1915, no Queira Deus.

5.5 Isaias, n. 1922, no 5º Distrito de Cantagalo, registrado em Macuco.

4.2 Presciliana Lantimant Herdy da Silva, n. RJ, cc. Otávio Pereira da Silva, n. RJ, lavrador, f. de Antônio Pereira da Silva e Maria Clementina Pereira da Silva, com pelo menos (Ig):

5.1 Argeu Pereira da Silva, n. 1912, Macuco.

5.2 Alteu Pereira da Silva, n. 1914, "no Rio Negro", Macuco.

4.3 Joventina Herdy Pinto, n. RJ, cc. Manuel Ribeiro Pinto, n. RJ, lavrador, brasileiros, f. de Antônio Ribeiro da Silva Pinto e Ana da Silva Pinto, com pelo menos (Ig): 

5.1 Nilo, n. 1915, no Córrego Santo, Macuco.

4.4 Alberto. (Deste até 4.11, são todos de uma genealogia da Sra. Mercedes Braga Lemgruber, elaborada em 1982, gentilmente enviada pelo genealogista Celso Kropf de Abreu).

4.5 Abílio.

4.6 Olívia, cc. Francisco Cabral

4.7 Ana Cândida, cc. Manoel Gonçalves.

4.8 Adocina, cc. Leopoldo Duque Estrada.

4.9 Maria, cc. ...... Carneiro.

4.10 Avelina, cc. José Correia.

4.11 Cleo, cc. Celso Correia.

1.3 Pulquéria Maria do Sacramento ou Livramento Figueiredo (de Castro Guerreiro) Bogado, nasceu em uma fazenda denominada "Cordeiros", e foi batizada em 1807, em Cantagalo (Padrinho: Francisco Dias da Silva, vigário), onde f. 1896, com 90 anos, no Sítio Triunfo, em São Sebastião do Paraíba, quando a sua família já era uma das maiores do município.
C. 1824, com Basílio Mateus Ferreira de Souza, n. São José de El-Rei (atual Tiradentes) ou Nossa Senhora da Piedade de Barbacena, MG, um dos primeiros fazendeiros na margem cantagalense do Rio Paraíba do Sul, onde fundou a sua "Fazenda da Paraíba" (na qual faleceu em 1852, sendo sepultado em um cemitério particular, na Fazenda do Vale da Graça, na barra do Ribeirão do Quilombo, acima de São Sebastião), em um pontal de morro, abaixo do então arraial de São Sebastião do Paraíba e, juntamente com seus pais era proprietário de fazendas em Minas Gerais, sendo filho de Francisco Ferreira de Souza e Maria Antônia da Soledade, naturais de Mariana, com 14 filhos, entre os quais: (AL, DBB, HB e livro "Cantagalo", de Clélio Erthal, fls. 47).
- Obs.: O casamento e a descendência desta filha foram gentilmente enviados pela Sra. Maria Cynthia Bogado Correa da Silva, de Niterói, RJ, descendente desta família e, posteriormente, complementado e enriquecido com os apontamentos, inéditos, deixados pelo Sr. Virgílio Horácio de Abreu, adiante, neto do casal, gentilmente enviados pela sua neta a Sra. Maria Ângela Abreu Mariani, do qual reproduzimos apenas as informações genealógicas, de forma resumida.

2.1 Maria Luísa de Figueiredo, b. 1825, Cantagalo (DBB).

2.2 Hipólita Luísa de Figueiredo, b. 1835, Cantagalo.

2.3 Basília Luísa de de Souza de Figueiredo Carvalho, c. 1854, Cantagalo, com João Teixeira de Carvalho, n. do Arraial do (Lamin?), MG, cafeicultor em São Sebastião do Paraíba, Cantagalo, foram também lavradores e proprietários em Juiz de Fora, MG, f. de Felisberto Teixeira de Carvalho e Maria Francisca de Jesus, com geração na Família Teixeira de Carvalho (AL, CBG, DBB, Ig e TC.I.375/6).

2.4 Presciliana Rosa de Souza Abreu, n. 1849, na Fazenda Paraíba, f. 1928, com 78 anos, na Fazenda Boa-Sorte, c. 1866, aos 17 anos, com o viúvo Antonio Emílio de Abreu, npv. 1836, Funchal, Ilha da Madeira, f. 1892, na mesma fazenda que a esposa. O marido (filho de Francisco de Abreu, Oficial de Carpintaria, f. com 82 anos, em Cantagalo, e Joaquina de Abreu, f. com 96 anos, naturais da mesma Ilha), já era dono da Fazenda do Bom Socego, em MG, onde residiram até 1878, quando mudaram para São Sebastião do Paraíba, comprando a Fazenda da Boa Sorte.
Ele veio para o Brasil ainda moço, empregou-se como cocheiro, no Rio de Janeiro, e pouco tempo depois seguiu para o interior, como empregado do Barão de Ayuroca, casando-se mais tarde com Ana Porto, sobrinha do mencionado Barão, da qual teve três filhas: Josephina, Maria e Olympia, e residiam quase em frente à Estação de Sapucaia, da Estrada de Ferro Central do Brasil, onde tinham uma propriedade agrícola, que depois venderam e compraram outra em Santa Ana do Pirapetinga.
Da 2ª esposa, Presciliana, teve:

3.1 Américo Aníbal de Abreu, n. 1866 ou 67, Fazenda da Paraíba, da avó materna, b. 67, pelo Padre Gabriel, estando o batistério registrado em Santa Ana do Pirapetinga (padrinhos: José Evaristo Ferreira de Souza e Pulquéria Maria do Livramento), Advogado, formado em 1890, na Faculdade de Direito de São Paulo, foi Promotor Público em Cantagalo, Juiz Municipal em São Sebastião do Paraíba, tendo advogado também em Além Paraíba, Santo Antonio de Pádua e Araxá, onde f. 1923, com 56 anos, c. aos 24 anos, 1891, Santana do Pirapetinga, com Armanda de Carvalho Abreu, com: Moacir de Abreu, Laís de Abreu, Inaiá, Jurema ("ainda solteiros"), Astor de Abreu, e:

4.1 Laura de Abreu Coutinho, cc. Antonio Caetano de Azeredo Coutinho.

4.2 Dinorah de Abreu Costa, cc. Firmino Gonçalves Costa.

4.3 Dionéia de abreu Prates, cc. Godofredo Prates.

3.2 Virgilio Horácio de Abreu, n. 1869, Fazenda Paraíba, da sua avó materna, onde foi batizado pelo Frei Serafim Maria de Jesus, tendo como padrinhos os tios maternos, Major Honório Severiano Ferreira de Souza e Laudelina Augusta de Figueiredo e Souza, estando o seu batistério registrado em Santa Ana do Pirapetinga, onde os seus pais ainda residiam. Ele foi criado pelos padrinhos e a avó.
Estudou no Colégio Alberto Brandão, em Vassouras, RJ, que em 1888 transferiu-se para o Bairro do Flamento, no Rio, onde concluiu os seus preparatórios em 1890, tendo assistido a Proclamação da República, em 1889, indo depois para a Escola de Minas, em Ouro Preto, onde fez o curso Fundamental. Tirou o título de Agrimensor de Terras Públicas, cuja profissão exerceu até 1899, enquanto cuidava dos negócios da família, até que esta deixou Miracema, RJ, onde estava afazendada, e foi para Araxá, onde c. 1903, na Fazenda da Lagoinha, em Dores de Santa Juliana, com Maria Josephina de Paiva Abreu, n. 1887, na Fazenda de São Mateus, em Araxá (da sua avó paterna), que estudou no Colégio Nossa Senhora das Dores, em Uberaba, das irmãs Dominicanas, f. de Joaquim Tobias Ribeiro de Paiva e Irinéia Leopoldina de Paiva, passando o casal a residir na Fazenda da Lagoinha, onde ainda vivia em 1921, na qual se dedicava à criação de gado. Tiveram 14 filhos:

4.1 Honório de Paiva Abreu, n. 1904, Araxá, b. Dores de Santa Juliana, por  Frei Ângelo Martins do Rosário (Agostiniano), no mesmo ano. Foram seus padrinhos seu tio Cincinato Ferreira de Aguiar e sua avó materna Irineia Leopoldina de Paiva.

4.2 Álvaro de Paiva Abreu, n. Araxá, 1906, onde foi b. pelo padre Julião Nunes e foram seus padrinhos seu tio, Cel. Adolpho Ferreira de Aguiar e sua bisavó Ana Antonia Ferreira de Paiva.

4.3 Armando de Paiva Abreu, n. Fazenda da Lagoinha, 1908, foi b. em Dores de Santa Juliana, tendo sido seus padrinhos seus tios maternos, José Tobias Ribeiro de Paiva e Otavia de Paiva.

4.4 José de Paiva Abreu, n. Fazenda da Lagoinha, 1910, foi batizado por Frei Ângelo Martins do Rozario. Foram seus padrinhos Mizael Ferreira de Aguiar e Maria Rita de Aguiar Portela.

4.5 Geraldo de Paiva Abreu, n. 1912, Fazenda da Lagoinha, foi batizado pelo Reverendo Padre André Aguirre, na Fazenda de São Matheus. Foram seus padrinhos sua tia materna Maria Rita da Silva Aguiar e seu tio paterno Dr. Américo Aníbal de Abreu.

4.6 Orlando de Paiva Abreu, n. e b. Fazenda da Lagoinha, 1914, e teve como padrinhos seu tio Ananias Ferreira de Aguiar e sua prima Maria Umbelina de Aguiar. Faleceu em Araxá  em 1918.

4.7 Osvaldo de Paiva Abreu, n. Fazenda da Lagoinha, 1916. Foi batizado em Araxá pelo Reverendo Padre André Aguirre e foram seus padrinhos o seu tio materno Tobias Ribeiro de Paiva e sua mulher Maria José de Paiva. Faleceu em Araxá em 1922.

4.8 Plínio de Paiva Abreu, n. Fazenda da Lagoinha, 1917. Foram seus padrinhos Nicolau Ferreira Portella e Maria José de Magalhães Paiva. Foi seu padrinho de crisma Augusto Carneiro de Oliveira. Plínio foi batizado em Dores de Santa Juliana, pelo Reverendo Padre Luiz Severiano.

4.9 Augusto de Paiva Abreu, n. Araxá, 1919, na casa de sua avó materna. Foram seus padrinhos o Dr. Mário de Castro Magalhães e Francisca de Paiva, casada com Pedro Alves de Paiva. Faleceu em Araxá, 1921. Foi batizado e teve como padrinho o Reverendo Padre André Aguirre, Vigário de Araxá.

4.10 Orlando de Paiva Abreu, segundo do nome, n. Araxá, 1921. Foram seus padrinhos seu primo Aluízio Ribeiro de Paiva e Lais de Abreu. Foi seu padrinho de crisma o se primo Joaquim Ribeiro de Paiva. Foi batizado pelo Reverendo Padre André Aguirre, Vigário de Araxá.

4.11 Osvaldo de Paiva Abreu, segundo do nome, n. Fazenda Da Lagoinha, 1922. Foi batizado em 1923, pelo Padre Albino, em Dores de Santa Juliana. Foram seus padrinhos seu irmão Álvaro de Paiva Abreu e sua prima Maria Bernadete de Paiva.

4.12 Augusto de Paiva Abreu, segundo do nome, n. Dores de Santa Juliana, Municipio de Araxá, em 1924, em casa de sua avó materna. Foi batizado na Matriz de Dores, e teve como Padrinho seu irmão mais velho Honório de Paiva Abreu e sua prima Maria do Carmo Aguiar Teixeira, geralmente conhecida na família por Carminha.
Obs.: "Devo declarar que, tendo falecido os meus filhos, Orlando, Augusto e Osvaldo, repeti, nos três últimos os nomes daqueles queridos filhos.".

4.13 Maria Virgília, n. 1927, Fazenda da Lagoinha.
- Obs.: "Depois de doze filhos consecutivos, nasceu a minha primeira filha Maria Virgília ...".

4.14 Terezinha, n. 1930, Fazenda da Lagoinha.

3.3 Alcidiana, n. e b. 1872, na Fazenda da Paraíba, pelo Padre Francisco Júlio dos Santos (padrinhos: Vicente José dos Santos e Hipólita Cândida da Glória e Souza), estudou em São João de El-Rei, f. 1896, solteira, já moça, no Sítio do Triunfo, em São Sebastião do Paraíba. O batistério acha-se em Santa Ana do Pirapetinga.

3.4 Irineu, n. e b. 1874, pelo Padre Francisco Júlio dos Santos (padrinhos: Honório severiano Ferreira de Souza e Delfina Adelaide de Souza), cujo batistério acha-se em Santa Ana do Pirapetinga.

3.5 Álvaro Abreu, n. e b. 1877 ou 88, no Sítio São Paulo, pertencente à Fazenda São João da Barra, do seu tio João Teixeira de Carvalho, acima, pelo Padre Francisco Júlio dos Santos (padrinhos: Manoel Aníbal Ferreira de souza e Maria de Souza Pacheco), e f. 1926, na Fazenda Boa Sorte. O batistério está registrado em Cantagalo.

3.6 Gabriela de Abreu, n. 1880, Fazenda Boa Sorte, São Sebastião do Paraíba, b. 1881, pelo Padre Francisco Júlio dos Santos (padrinhos: Antonio Joaquim Lucio da Câmara e Maria de Souza Pacheco), cc. Eurico de Souza Coelho, e ficou residindo na mesma fazenda, onde f. 1925, deixando 2 filhos e 4 filhas. O batistério está registrado em Cantagalo.

3.7 Julieta de Abreu, n. 1883, Fazenda Boa Sorte, b. no mesmo ano, pelo Cônego Raimundo (padrinhos: Luiz Teixeira de Carvalho e Delfina Adelaide de Souza. O batistério acha-se registrado em Cantagalo. Faleceu solteira em 1923, na mesma fazenda.

3.8 Jacintho, n. 1866, que faleceu logo depois de nascido.

1.4 Alferes José Guerreiro Bogado, já f. 1890, fazendeiro em Cantagalo, Euclidelândia e Santa Maria Madalena (vizinho da Fazenda Oriente, de João Lopes Martins), vereador e presidente da Câmara de Cantagalo, cc. Maria Emília Rodrigues Torres Bogado, que ainda vivia em 1906, f. do Dr. Bernardino José Rodrigues Torres (irmão de Joaquim José Rodrigues Torres, Visconde de Itaboraí) e Maria Emília Torres, com pelo menos (AL, AP, Ig, Im, TC.I.222, II.132): 

2.1 Raquel Rodrigues Torres Bogado Lemgruber, n. Macuco, c. 1881, na Fazenda Trindade, São Sebastião do Alto, com o coronel Laurindo Augusto Lemgruber, n. 1858, nesta cidade, f. 1932, político do partido “Honorista”, vereador, Deputado Federal, dono das Fazendas da Cachoeira do Macuco, São João, ambas em Macuco, e Santo Antônio do Córrego dos Índios, em São Sebastião do Alto (vizinha de José Alves Ferreira Viana, Luís José Machado, da situação de Frederico Lemgruber e da Fazenda São Feliciano do Córrego dos Índios, do tenente Marcos Lemgruber), f. de João Batista Lemgruber e Agostinha Belieni Lemgruber, com pelo menos 10 filhos: Álvaro, Edina, e ainda: (AL, AP, Ig, Im e TC.II.126, 139, 294 e 297): 

3.1 Dr. Laurindo Lemgruber Filho, advogado, n. 1883, Macuco, f. aos 80 e poucos anos, foi chefe político, importante fazendeiro, industrial e diversas vezes Deputado Federal. (TC.II.294, 297 e 317).

3.2 João Batista Lemgruber, n. 1883, f. 1949, cc. Alda Lemgruber Daflon, n. 1883, f. 1955, f. de João Luís Daflon, um dos donos da Fazenda São Francisco em 1885, e Helena Augusta Lemgruber, com pelo menos: (CBG e Int): 

4.1 Carmen Daflon Lemgruber, n. 1909, f. 1955, cc. Guido de Faria Salgado Filho, n. 1904, f. 1984, f. de Guido de Faria Salgado e Leopoldina de Lima Faria, com geração em LR.199. (EA.376 e MB.123).

3.3 José Augusto Lemgruber, n. 1890, Euclidelândia, prefeito de São Sebastião do Alto (Ig e LR.338). 

3.4 Otávio Augusto Lemgruber, n. 1892, na Fazenda São João (Ig).

3.5 Violeta Lemgruber, n. 1893, Macuco. 

3.6 Mário Lemgruber, n. 1896, Nova Friburgo. 

3.7 Otávio Augusto Lemgruber (outro), n. 1897, Nova Friburgo.

3.8 Dr. Augusto Lemgruber, médico, que talvez seja o mesmo anterior (TC.II.294 e 297).

2.2 Bernardino Torres Guerreiro Bogado, n. Cantagalo, comerciante, c. Euclidelândia, com Eunília Lopes Martins Bogado (ou Emília Lopes Martins Bogado), Zizinha, n. Cantagalo, f. de Antônio Lopes Martins Sobrinho e Maria Cândida Martins Coube, com pelo menos (Ig): 

3.1 Antônio Guerreiro Bogado ou Antônio Lopes Martins Bogado, n. 1896, na Fazenda Oriente, Euclidelândia.

3.2 Ondina, n. 1897, na Fazenda Boa Vista, Macuco. 

3.3 Hugo Martins Bogado, n. 1898, Nova Friburgo. Testemunha: José Guerreiro Bogado, negociante.

3.4 Moacir Lopes Martins Bogado, n. 1901, Macuco (Testemunha: Francisco Lopes Martins Sobrinho). c. 1927, com Ondina Coube Bogado, n. 1905, Euclidelândia, f. de Luís Beda Naegele Coube, np. de Benoit Bernard Coube, com pelo menos: (DBB e Ig).

4.1 Sinval Coube Bogado, n. 1929, Nova Friburgo. (DBB).

3.5 Marina, n. 1903, Macuco. Testemunha: Francisco Lopes Martins Sobrinho. (Ig).

3.6 José, n. 1905, na Fazenda da Vargem, Macuco. 

2.3 José Guerreiro Bogado Filho, n. 1875, Macuco (ou Nova Friburgo), juiz de paz, lavrador e comerciante, c. aí, 1897, com Matildes Cândida Lopes Martins Bogado, n. 1881, São Francisco de Paula, f. de Antônio Lopes Martins Sobrinho e Maria Cândida Martins Coube, com entre outros: Manuel, n. 1906, no Rubin, Macuco, João, n. 1907, José (outro), n. 1909, Hélio, n. 1914, estes em Macuco, e ainda: (DBB, Ig e TC.II.132).

3.1 José Guerreiro Bogado Neto, n. 1899, Nova Friburgo.

3.2 Odete, n. 1901, Macuco. Declarante: Bernardino Torres Bogado. Testemunhas: Francisco Lopes Martins Sobrinho e Henrique Pedro Coube.

3.3 Maria de Lourdes, n. 1910, Macuco. Testemunhas: Laurindo Augusto Lemgruber e Bernardino Torres Bogado.

2.4 João.

2.5 Maria.

2.6 Manuel Torres Guerreiro Bogado, cc. Laudimia Neves, com pelo menos: Pedro Neves Bogado, n. 1920, Campos, RJ.

2.7 Ana.

2.8 Laura.

2.9 João (outro). Talvez o mesmo doutor João Guerreiro Bogado Torres, n. 1870, Magistrado, ou doutor João Guerreiro Rodrigues Torres, juiz municipal em Bom Jardim, em 1901 (Ig e TC.2.116).

2.10 Querubina Bogado Torres, cc. Augusto José Rodrigues Torres, já f. 1919, brasileiros, com pelo menos (Ig):

3.1 Augusto José Rodrigues Torres Filho, n. Rio, Cirurgião Dentista em Macuco, cc. América Maria Cerbino Rodrigues Torres, n. RJ, f. de Constantino Cerbino e Luísa Bonano Cerbino, italianos, com pelo menos:

4.1 Lair Cherubim, n. 1919, Macuco.

1.5 Felisberto Guerreiro Bogado, inspetor de quarteirão e cafeicultor em Euclidelândia, cc. Guilhermina Leopoldina de Lima ou Guilhermina Xavier de Souza (em Xavier de Souza), com pelo menos (AL e Ig): 

2.1 Eulália Leopoldina Guerreiro Bogado (depois Eulália Guerreiro de Figueiredo Franco), n. RJ, já f. 1917, lavradora em Euclidelândia, onde c. 1880, com Vicente José Franco, italiano, já f. 1915, f. de José Franco e Luzia Esquivel ou Escabel, com pelo menos (DBB e Ig): 

3.1 Luísa de Figueiredo Franco, n. RJ, cc. Antônio Xavier de Souza Júnior, n. RJ, lavrador, f. de Antônio Xavier de Souza, fazendeiro em São Sebastião do Alto, e Etelvina Angélica Neves Xavier, de Macuco, com pelo menos (AL e Ig): 

4.1 Meranides Xavier de Souza, n. 1905, na Fazenda Paraíso, Macuco (Ig).

4.2 Sebastiana de Figueiredo Franco, n. 1907, na Fazenda Paraíso.  

4.3 Irene, n. 1908, Macuco. 

4.4 Vicente Xavier de Souza, n. 1910, Macuco. 

3.2 Cacilda de Figueiredo Franco ou Xavier de Souza, cc. José Xavier de Souza Júnior, lavrador, f. de José Xavier de Souza e Esmeralda da Costa e Souza, de Macuco, todos naturais do Estado do Rio, com entre outros (Ig):

4.1 Genésio, n. 1906, na Fazenda Paraíso, Macuco. 

4.2 Dario, n. 1908, Macuco (registrado em 1915). 

4.3 Darcílio, n. 1910, Macuco (registrado em 1915).

3.3 Maria Francisca Franco Guaraldi, n. RJ, cc. Luís Guaraldi, italiano, n. cerca de 1853, f. por volta de 1903 (na Fazenda da Vargem, Macuco, de Henrique Pedro Coube), f. Antônio Guaraldi e Etelvina ou Catarina Guaraldi, residentes em Euclidelândia, com pelo menos (Ig): 

4.1 Eulália, n. 1908, na Fazenda Paraíso, Macuco. 

4.2 Perciliana, n. 1911, no Rio Grande, Macuco.

3.4 Vicentina de Figueiredo Franco, n. 1892, Euclidelândia, cc. Guilherme Vitória de Assunção, n. RJ, lavrador na Fazenda Santa Bárbara, no 5º Distrito de Cantagalo, f. de Joaquim Xavier de Assunção, já f. 1917, e Matilde Vitória de Assunção, brasileiros, com pelo menos (Ig): 

4.1 Álvaro Franco de Assunção, n. 1917, Macuco.

3.5 Vicente José de Figueiredo Franco, n. 1893, Euclidelândia, lavrador, cc. Maria Rodrigues Franco, n. RJ, f. de Manuel Rodrigues de Souza e Maria Antônia de Oliveira, com pelo menos: Ataíde, n. 1921, Macuco.

3.6 Lourival, n. 1898, na Fazenda Paraíso, Macuco.

3.7 Presciliana Rodrigues Franco, n. RJ, cc. Júlio Rodrigues de Souza, n. RJ, lavrador no Sítio da Lage, no 5º Distrito de Cantagalo, f. de Manuel Rodrigues de Souza e Maria Umbelina Rodrigues, com geração no mesmo Distrito.

2.2 Manuel Guerreiro Bogado, n. RJ, lavrador, c. Euclidelândia, com Elídia de Oliveira Bogado, n. RJ, com pelo menos (Ig): 

3.1 Guilhermina Bogado, n. 1894, Macuco.

2.3 Júlia Guerreiro Bogado (depois Júlia de Figueiredo Araújo), n. 1866, Euclidelândia, cc. Antônio Teodósio de Araújo, n. RJ, lavrador, f. de Lúcio Teodósio de Araújo e Isabel Vitorina de Araújo, com pelo menos: Maria, n. 1898, na Fazenda Paraíso, Macuco. (DBB e Ig).

2.4 Leopoldina Maria Custódio (ou Leopoldina Maria de Figueiredo), n. 1864, Euclidelândia, c. 1882, com Joaquim José Custódio Filho, n. RJ, lavrador, f. de Joaquim José Custódio e Joaquina Maria de Jesus, com pelo menos: Othilia Custódio, n. 1885, Euclidelândia, e Joaquina, n. 1898, Macuco. (DBB e Ig).

2.5 Laudelina Leopoldina de Figueiredo, c. 1882, com Artur Antunes de Oliveira, com pelo menos: (DBB).

3.1 Alice de Oliveira Freire, n. 1898, Macuco, RJ, c. 1916, com Epaminondas da Silva Freire, n. 1862, São Sebastião do Alto, RJ, c.ger. em Silva Freire. (DBB).

2.5 Laudicéria Leopoldina Bogado de Oliveira, n. RJ, cc. Artur Antunes de Oliveira, n. RJ, f. de Francisco Antunes de Oliveira, já f. 1898, e Ana Francisca de Jesus, com pelo menos: Antonia, n. 1896, Laranjais, e ainda: (Ig): 

3.1 Alcina Leopoldina de Oliveira de Souza Lima, cc. Manuel de Souza Lima, f. de João de Souza Lima e Cândida Maria da Conceição, com geração na família Souza Lima.

3.2 Alice de Oliveira Freire, n. 1898, Macuco, 2ª esposa do capitão Epaminondas da Silva Freire, n. 1862, São Sebastião do Alto, f. do capitão Joaquim Higino da Silva Freire e Joaquina Gonçalves Lima da Silva Freire, com geração em Macuco.

2.6 Leodegário Guerreiro Bogado (vide Nota nº 1, no rodapé), n. RJ, já f. 1910 (que declarou o nascimento de Agostinho Hermes Lantimant na Fazenda São Joaquim, Macuco), cc. Amância da Conceição de Figueiredo Bogado, n. 1860, Porto das Caixas, RJ, f. 1892, f. de “...tônio Francisco Dias" e Virgulina Antônia da Conceição, com 5 filhos (Ig): 

3.1 Carlos Guerreiro Bogado, n. 1879, f. 1924, cc. Leopoldina Rodrigues Bogado, com pelo menos:

4.1 José Guerreiro Bogado, n. 1921, em "Campos de Cunha-Cunha". (Informação gentilmente enviada pelo seu filho, o Sr. Laureano Guerreiro Bogado, da Direção Pedagógica do Colégio Emílio Ribas - Anglo Pindamonhangaba, o que muito agradecemos). 

3.2 (...), n. 1881, já adolescente no registro. 

3.3 Adalberto Guerreiro Bogado.

3.4 Astrogildo Guerreiro Bogado, n. 1883, residente em Corumbá, Estado de Mato Grosso do Sul, c. 1926, com Bonifácia Velasques (depois Bonifácia Velasques Guerreiro Bogado), índia paraguaia, com 11 filhos (quase todos tiveram entre 10 e 15 filhos), entre eles:

4.1 Herondina Guerreiro Bogado, cc. (...), com entre outros: 

5.1 Neuza Bogado Cestaria Baruki, cc. Alberto Baruki, com 6 filhos e 12 netos. 

4.2 Antônia Guerreiro Bogado, a “tia Tônica”.

4.3 Carmelita Bogado da Silva.

4.4 (...) Guerreiro Bogado, a “tia Preta’.

4.5 Astrogildo Guerreiro Bogado Filho.

4.6 Raimundo Guerreiro Bogado.

4.7 Maximiliano Guerreiro Bogado, cc. Mercedes de Souza Bogado, avós de Nahima Bogado.

4.8 (...) Guerreiro Bogado, f. criança.

4.9 Aristides Guerreiro Bogado, cc. Lucila Ferreira, pais de: (Informação gentilmente enviada por sua neta, Geiza Basualdo Bogado, incluinda a geração, o que muito agradecemos).

5.1 Wilson Bogado, cc. Juliana Basualdo Bogado.

3.5 Dalila Guerreiro Bogado Ferreira Pires de Moraes, depois Dutra de Sá, n. 1889, RJ, c. 1ª vez 1908, Cantagalo, com Urbano Ferreira Pires de Moraes, Banico, b. 1877, Trajano de Moraes, comerciante e guarda-livros, f. de Felisberto Ferreira Pires de Moraes, Bebé, e Maria do Nascimento Soares Pires, brasileiros, com geração na família Ferreira Pires e, 2ª vez, com Eurípides Dutra de Sá, n. 1896, f. de Francisco Dutra de Sá e Porfíria Dutra de Sá, Sinhazinha, e teve deste: Floriano Peixoto Dutra de Sá, Leontina Dutra de Sá, Maria da Glória de Sá, falecidos ainda crianças, e ainda: (CBG, DBB e Ig): 

4.1  Jeferson Dutra de Sá, Jefinho, n. 1921, cc. Vilma Pacheco de Sá, n. 1929, com geração.  

1.6 Francisca Guerreiro Bogado (hipótese), testemunha de casamento em Cantagalo em 1839, provavelmente a mesma Francisca Guerreiro que herdou parte da Fazenda das Lavrinhas, por ter sido casada na família Soares. (AP e HB).

 

Nota nº 1: Nesta família tivemos grande colaboração dos amigos, genealogistas, Darli Bertazzoni Barbosa, Luciano Antonio Pedreira Prieto e Maria Cynthia Bogado Correa da Silva, de Niterói, RJ, descendentes da mesma.

 

Ir para: Página Principal,    Índice Geral,    Imigração árabe,    Títulos Perdidos,      Tiradentes    Batch Number,     Códigos e Bibliografia