GENEALOGIA BRASILEIRA
Estado do Rio de Janeiro - Povoadores da Região Serrana

Família RIBEIRO DE AVELAR

 

                               Lênio Luiz Richa (lenioricha@yahoo.com.br)

 

 

          O tenente Antônio Ribeiro de Avelar, Cavaleiro Professo da Ordem de Cristo, n. por volta de 1750, Santana de Carnota, Alenquer, Lisboa, Portugal, f. Rio, Brasil, 1794, abastado comerciante no Rio, Cantagalo e Inhomirim, RJ, proprietário de terras no Brasil e em Portugal, tronco dos Ribeiro de Avelar do RJ, deu depoimento no processo de Tiradentes a favor do réu. Com o seu irmão João Rodrigues da Cruz fundou, em 1770, a Fazenda Pau Grande, em Pati do Alferes, f. de João Rodrigues e Paula da Cruz.
          C. 1775 com Antonia Maria da Conceição, n. 1758 no RJ e f. 1828 em Pau Grande, f. de Brás Gonçalves Portugal e Francisca Antônia de Assunção, com 14 filhos, entre eles: (Dicionário das Famílias Brasileiras e O Casal Furquim Werneck e Sua Descendência, de Roberto Menezes de Moraes, fls. 74 e seguintes).

1.1 Joaquina Matilde de Assunção, n. 1776 no Rio e f. 1846, c. 1794 com seu primo paterno Luís Gomes Ribeiro, n. Santana da Carnota, Lisboa, f. de Antônio Gomes e Joana Francisca, proprietário da Fazenda Pau Grande. Fundou também a Fazenda Guaribu, onde faleceu, tiveram 13 filhos:

2.1 Maria Isabel de Assunção, Baronesa do Pati do Alferes, n. 1808, f. 1866. Mulher de inteligência incomum. Cc. Francisco Peixoto de Lacerda Werneck, 2º Barão do Pati do Alferes, n. 1795 em Conceição do Alferes, f. 1864 na Fazenda do Monte Alegre (ambos), da qual eram proprietários
          Escreveu trabalhos sobre agricultura, foi Deputado Provincial, construiu a igreja de Santana de Palmeiras, comandante da Guarda Nacional e Grande do Império, com 9 filhos: (O Casal Furquim Werneck e Sua Descendência, fls. 65).

3.1 Dr. Luís Boaventura Peixoto de Lacerda Werneck, n. 1824, f. 1886, Cevio (Suíça). Sobre ele, seu pai e o filho André Werneck versa o livro “Barões e Escravidão”, de Eduardo Silva, cc. sua prima Isabel Augusta das Chagas Werneck, com geração no Livro da Família Werneck, fls. 92.

3.2 João Pedro Peixoto de Lacerda Werneck, n. 1825 em Pati do Alferes, onde f. 1826.

3.3 Francisco Peixoto de Lacerda Werneck, n. 1826, f. 1828 em Pati do Alferes.

3.4 Ana Isabel Peixoto de Lacerda Werneck, n. 1827 em Pati do Alferes, f. 1869 em Vassouras. Cc. Francisco das Chagas Werneck, com geração no Livro da Família Werneck, fls. 110.

3.5 Francisco Peixoto de Lacerda Werneck, n. 1829, f. no mesmo ano em Pati do Alferes.

3.6 Manuel Peixoto de Lacerda Werneck, advogado, n. 1830 em Pati do Alferes, f. 1898 em Vassouras. Cc. Evelina Teixeira de Macedo, com geração no Livro da Família Werneck, fls. 96.

3.7 Carolina Isabel de Lacerda Werneck, n. 1832, c. 1845, com seu primo, o comendador José Inácio de Souza Werneck, f. 1850 em Pati do Alferes, com geração no Livro da Família Werneck, fls. 126.

3.8 Mariana Isabel de Lacerda Werneck, n. 1831 em Pati do Alferes, f. 1920 em Petrópolis, cc. o dr. Francisco de Assis Furquim de Almeida, advogado, n. 1814 em Camanducaia (MG), f. 1887 em Barão de Juparanã, Valença (RJ), f. de Manuel Furquim de Almeida e Ana Bernardina de Melo, com grande geração em O Casal Furquim Werneck e Sua Descendência, fls. 83.

3.9 Maria Isabel Peixoto de Lacerda Werneck, Viscondessa de Arcozelo, n. 1840, f. 1912 em Roseiral, Pati do Alferes, cc. Joaquim Teixeira de Castro, Visconde de Arcozelo, com geração no Livro da Família Werneck, fls. 98.

2.2 Cláudio Gomes Ribeiro de Avelar, Barão do Guaribu, f. solteiro e não deixou filhos reconhecidos.

2.3 Joaquina Rosa de Assunção Ribeiro de Avelar, cc. Joaquim José dos Santos Silva. Proprietários da Fazenda Matozinhos, pais de pelo menos:

3.1 Antônio Ribeiro de Avelar, cc. Beralda Lucinda de Oliveira e Silva, sepultada na Fazenda Santo Antonio, em Penha Longa, próximo ao Município de Chiador, neta de Dona Joaquina do Pompéu. (Informação gentilmente enviada pelo historiador Deusdedit Campos, de Belo Horizonte, MG, autor do livro "Dona Joaquina do Pompéu").

2.4 Margarida Herculana de Avelar, c. 3 vezes: 1ª, com Brás José Rodrigues Viana; a 2ª vez com José Egídio de Miranda Castro e a 3ª com seu sobrinho Luís Barbosa dos Santos.

2.5 Quintiliano Gomes Ribeiro de Avelar, da Fazenda da Boa Sorte, cc. sua sobrinha Emília Barbosa dos Santos.

2.6 Paulo Gomes Ribeiro de Avelar, Barão de São Luís, cc. sua cunhada viúva, Feliciana de Carvalho.

2.7 Luísa Inácia da Conceição, cc. João Barbosa dos Santos, da Fazenda da Várzea ou Cachoeira.

2.8 Francisco Gomes Ribeiro de Avelar, negociante no RJ, cc. Feliciana de Carvalho (vide 2.6, acima), irmã do comerciante Bernardo Ribeiro de Carvalho.

2.9 Felisberta Balbina de Avelar, n. 1814 em Pati do Alferes, f. 1854 na Fazenda de Bom Jesus de Matozinhos, c. a 1ª vez com seu tio materno Francisco Ribeiro de Avelar e, a 2ª, com o político Dr. Martinho Álvares da Silva Campos (3ª esposa deste). Tiveram:

3.1 Dr. Martinho Álvares da Silva Campos Junior.

2.10 Cláudia Gomes Ribeiro de Avelar, c. 1ª vez, com Manuel Gomes Ribeiro Leitão, com geração e, 2ª, com N(...) Castro.

2.11 João Gomes Ribeiro de Avelar, Visconde da Paraíba, cc. Carolina de Azevedo, com grande geração.

2.12 Manuel Gomes Ribeiro de Avelar, comendador da Ordem da Rosa, proprietário da Fazenda da Glória, cc. Carlota de Paula, pais de, entre outros:

3.1 Felisberta de Paula Avelar, cc. Joaquim Vieira Xavier de Castro, com entre outros:

4.1 Francisca Vieira de Castro, n. 1868 em Pati do Alferes, f. 1941 no Rio, professora, c. 1888, com seu primo Antônio Furquim Werneck de Almeida, n. 1856 em Vassouras, f. 1917 no Rio, farmacêutico no Rio, escritor e redator proprietário do Jornal “O Patyense”, cuja coleção está na Biblioteca Nacional. Dono da Fazenda dos Taboões, em Pati do Alferes. Era dedicado, também, a crônicas familiares e da região de Vassouras (RJ).

2.13 José Gomes Ribeiro de Avelar, n. 1800 em Pati do Alferes, f. 1867 em Cavarú. Cc. Maria Francisca de São José (Werneck), com geração no Livro da Família Werneck, fls. 118, com grande prole, descrita em “O Casal Furquim Werneck e sua Descendência, de Roberto Menezes de Moraes”, fls. 79.

1.2 Maria Angélica, n. 1781, f. solteira.

1.3 Rosa Joaquina do Bonsucesso, n. 1783 no RJ e cc. o fidalgo português major José Maria Salter de Mascarenhas, com 7 filhos: 

2.1 José de Mascarenhas Salter, fazendeiro e oficial das Ordens da Rosa e de Cristo. Era do comando da Guarda Nacional. F. solteiro em 1883, na Fazenda Pau Grande.

2.2 Antônio de Mascarenhas Salter, f. solteiro.

2.3 Joaquim de Mascarenhas Salter, f. solteiro, 1879, na Fazenda Pau Grande.

2.4 Luís de Mascarenhas Salter, n. 1813, f. jovem, solteiro.

2.5 Ana Balbina de Mascarenhas Salter, f. solteira.

2.6 Maria Serafina de Mascarenhas Salter, n. 1815, f. solteira, 1880, em sua Fazenda de Pau Grande.

2.7 Antônia Ludovina de Mascarenhas, n. 1818, f. solteira, 1886, na Fazenda Pau Grande.

1.4 Ana, n. 1784, f. solteira na Fazenda Pau Grande.

1.5 Emerenciana, n. 1785, f. solteira, foi proprietária da Fazenda Pau Grande.

1.6 Francisco Ribeiro de Avelar, n. 1786, Rio, cc. sua sobrinha Felisberta Balbina de Avelar, com geração.

1.7 Mariana Luísa de Avelar, n. 1789, f. solteira na Fazenda Pau Grande.

1.8 Joaquim Ribeiro de Avelar, Barão de Capivari, n. 1790, Rio. Solteiro, deixou um filho reconhecido: 

2.1 Ten. Cel. Joaquim Ribeiro de Avelar, Visconde de Ubá, n. 1821, Pati do Alferes, onde era fazendeiro, f. com inventário em 1888, na Fazenda Pau Grande, cc. Maria Velho da Silva Avelar, Viscondessa de Ubá, n. Rio, inventariante do marido, com pelo menos: (AL, DFB e informações constantes no inventário do Visconde, pesquisado pela amiga jornalista Leila Vilela, de Teresópolis, RJ, que gentilmente enviou para o site).

3.1 Maria José Velho de Avelar Vieira Tosta, Dama do Paço, conhecida Madame Avelar, n. 1851, Rio, f. 1932, Petrópolis, Baronesa de Muritiba, em 1888, cc. o Dr. Manuel Vieira Tosta Filho, 2º Barão com grandeza de Muritiba, n. 1839, Salvador, BA, Juiz de Direito em Petrópolis, RJ, f. 1922, a bordo do navio Bagé, formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, foi Desembargador da Relação da Corte, Conselheiro, último Procurador da Coroa, Soberania e Fazenda Nacional do Império, teve ainda outros cargos e comendas, f. do Marquês de Muritiba e Isabel Pereira de Oliveira. (DFB e inventário).
- Obs.: Poderia ser o 2º marido, também foi citada como já viúva em 1891.

3.2 Luísa Velho de Avelar Lemgruber, cc. o Comendador Antônio Ubelhart-Lemgruber, f. de Antônio Inácio Lemgruber (fazendeiro no Carmo, RJ, vizinho da Sesmaria Santa Rita, de João Ferreira da Rocha), e Mariana Ubelhart-Lembruber, com pelo menos (AP, informação gentilmente enviada pelo amigo, genealogista, Luiz de Medeiros, natural e morador no Rio de Janeiro, RJ e Inventário acima):

4.1 Alícia, n. e b. 1881, Petrópolis. Padrinhos: José Maria Velho de Avelar, solteiro, e D. Maria Angélica da Conceição de Almeida, casada (Livro de batismos da Catedral de Petrópolis, nº 8, fls. 45, termo 103).

             Outros filhos e neto, constantes do inventário do Visconde:

3.3 Júlia de Avellar Figueira de Mello, cc. o Dr. Francisco de Carvalho Figueira de Mello.

3.4 Dr. Antonio Ribeiro Velho de Avellar, maior.

3.5 Joaquim Ribeiro de Avellar, 16 anos em 1888.

3.6 Eliza de Avellar Souza Fontes, já f. 1888, cc. o Dr. Luiz Ribeiro de Souza Fontes, com:

4.1 Luís, com 3 anos em 1888.

1.9 Luís Ribeiro de Avelar, n. 1792, f. menor.

1.10 Felisberta, n. 1793, f. solteira.

 

Nota nº 1:

Foram usadas também informações constantes de um artigo do renomado genealogista Klors Werneck, na Revista Genealógica Latina, cujo número e folhas esquecemos de anotar.

 

Ir para: Página Principal,    Índice Geral,    Imigração árabe,    Títulos Perdidos,      Tiradentes,     Batch Number,     Códigos e Bibliografia