GENEALOGIA BRASILEIRA
Estado do Rio de Janeiro - Povoadores da Região Serrana

Família SOUZA BRANDÃO

 

                             Lênio Luiz Richa (lenioricha@yahoo.com.br)

 

 

 

          José de Souza Brandão, no alvorecer do século XIX solicitou sesmaria no Ribeirão dos Prazeres, ao Sul da Serra do Capim, “onde tinha posse e meios para cultivar” e, em 1828, foi apontado como ex-proprietário da sesmaria requerida por Manuel Luís Martins, em Nova Friburgo, RJ. 
          Cc. Josefa Maria da Silva, depois Josefa de Souza Brandão, já falecidos em 1857, com pelo menos 7 filhos (BN, CE.90 e TC.2.362):
- Obs.: 1) A Serra do Capim fica entre São José do Vale do Rio Preto, Teresópolis e Sapucaia (e próxima de Aparecida, RJ). (Colaboração do amigo, genealogista, Marcio Seixas, de Cantagalo). 2) O genealogista Sérgio Campante diz que esta família foi muito importante no desenvolvimento de Sapucaia, e que o jazigo da família está no antigo cemitério de Aparecida.

1.1 Major José de Souza Brandão, Barão de Aparecida em 1867, n. 1823, Portugal, f. 1883, Botafogo, Rio, dono das Fazendas (Boa Esperança, em sociedade com um dos irmãos, segundo Sérgio Campante) e Santo Antônio, em Sapucaia, RJ, de 1854 a 83 e político e fazendeiro no Carmo e Sapucaia, onde foi juiz de paz de 1859 a 82, delegado e presidente da Câmara em 79 e 82, cc. Margarida Brandão, Baronesa de Aparecida, f. 1896, residente em Sapucaia (AL, AP e TC.2.362).

2.1 Dr. José de Souza Brandão (hipótese), talvez o mesmo anterior, era subdelegado do Carmo em 1864. (AL).

2.2 Miguel de Souza Brandão (hipótese), fazendeiro no Carmo, já f. 1892, cc. Rosa de Souza Brandão, residente no Carmo, com pelo menos (AL e Ig):

3.1 Josefa de Souza Brandão, n. Carmo, cc. Anastácio Roque da Silva, n. da mesma cidade, lavrador, f. de Roque Antônio da Silva e Felicidade Maria de Jesus, com pelo menos (Ig): Antônio, n. 1890, no Sítio da Boa Vista, Carmo, Sebastiana, n. 1892, Carmo.

3.2 Alzira Brandão Chaves, n. RJ, cc. Júlio Policarpo Gomes, n. MG, f. de Benvindo Ferreira Gomes e Amélia Gomes Chaves, com pelo menos (Ig): 

4.1 Alzira, n. 1890, na Fazenda da Conceição, no Carmo.

2.3 Margarida de Souza Brandão (hipótese), tinha a Fazenda Santa Rita dos Prazeres, em Aparecida, em 1856 e 59 (AL e AP). 

2.4 José da Silva Souza Brandão (hipótese), dono da Fazenda Santa Cruz, em Nossa Senhora da Glória, Valença, RJ, demarcada em 1844 (AP). 

2.5 José de Souza Correia Brandão (hipótese), já f. 1890, cc. Senhorinha da Rocha Brandão, residente no Carmo, com pelo menos (Ig): 

3.1 José de Souza Brandão, n. MG, lavrador, c. Carmo, com Elisiária Maria da Mota, n. RJ, f. de Francisco de Luís da Mota e Maria Rita Florinda ou Soares da Mota, residentes em Duas Barras, com entre outros: Maria, n. 1891, Agustinho, n. 1893, ambos no Carmo, e Virgílio de Souza Brandão (3º filho), n. 1895, Mariana Brandão (4ª filha), n. 1898, estes dois em Duas Barras.

3.2 Luís de Souza Correia Brandão, n. MG ou RJ, lavrador, cc. Francisca de Paula Rocha ou Romano, n. RJ, f. de Francisco Luís da Mota e Ana Rosa da Mota, com pelo menos (Ig):

4.1 Alzira, n. 1890, na Fazenda da Glória, Porto Velho do Cunha.

1.2  Emília Maria de Souza Brandão, depois Emília Maria Correia da Rocha, n. Magé, RJ, c. 1837, Nova Friburgo, com Manuel Correia da Rocha, n. São João Marcos, RJ, fazendeiro no Rio Grande, São Francisco de Paula, f. por volta de 1875, Duas Barras, f. de Matias Correia da Rocha e Ana Maria do Nascimento, com geração na família Correia da Rocha (AL, AP, DBB e DFB).

1.3 Dr. Augusto de Sousa Brandão, n. Cantagalo, médico, 2º Barão de Cantagalo, coronel da Guarda Nacional, proprietário da Fazenda Santana, subdelegado em 1854 em Aparecida (atual Sapucaia, RJ), vereador em 1854, 59 e 64, delegado em 69 e 74, juiz de paz em 74, presidente da Câmara em 79, juiz de paz em 1854 e 85, f. entre 1889 e 98, político do Partido Liberal, “cuja árvore genealógica prende-se ao tronco de Matias Correia da Rocha”. Foi, ainda, conselheiro da Casa de Caridade de Cantagalo em 1879.
          C. 1854, Cantagalo, com a viúva Francisca Cândida de Gouveia (ou Francisca Cândida Lapér Brandão), f. 1889, Campos, RJ, Baronesa de Cantagalo, em 1883 brasileira, com pelo menos (AL, CBG, CE.179, Ig, TC.1.333 e 2.362):

2.1 Dr. Augusto de Souza Brandão, professor da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e cirurgião, c. 1879, Cantagalo, com Leocádia Freire de Faria Salgado Brandão, com pelo menos ("Augusto Brandão Filho", de Edmo Rodrigues Lutterbach, Fls. 1, CBG e "Gente da Casa de Mão de Luva", de Amélia Tomás, fls. 21):

3.1 Dr. Augusto de Souza Brandão Filho, n. 1881, Cantagalo ou Rio, f. 1957, Rio, o “Príncipe da Cirurgia Brasileira”, professor como o pai, autor de diversos livros na área de medicina (Augusto Brandão Filho, de Edmo Rodrigues Lutterbach, Fls. 1 e TC.2.333).

2.2 Tenente coronel Honório de Souza Brandão, n. por volta de 1859, Cantagalo, lavrador e negociante, intendente municipal em 1890, já c. 1894, Cantagalo ou Rio, com Francisca Valverde de Miranda Brandão, n. cerca de 1870, Rio (com a qual foi testemunha do casamento de Álvaro Ribeiro de Aquino Pinheiro, filho do Barão de Aquino, em 1897), f. do comendador João Valverde de Miranda, capitalista no Rio, e Francisca Cândida Lapér de Miranda, brasileiros, com pelo menos: Cordélia Brandão, n. 1898, João Valverde Brandão, n. também em 1898, Rodolpho Valverde Brandão, n. 1899,  Georgiana de Souza Brandão, n. 1904, todos em Cantagalo, e ainda: (Ig e TC.I.227):

3.1 Honório Miranda Valverde Brandão, n. 1894, na Fazenda de Santana, Cantagalo e registrado em 1909 (Ig).

1.4 Angélica de Souza Brandão, cc. (...) Araújo (TC.2.362).

1.5 Dr. Luís de Souza Brandão, 1º Barão de Porto Novo em 1883, n. 1832, Cantagalo, f. 1893 na Estação da Providência, MG, fazendeiro em Madre de Deus do Angu, MG, Euclidelândia, Cantagalo e em Aparecida, atual Município de Sapucaia, onde foi juiz de paz.
          Cc. Marciana de Magalhães Brandão (ou Marceliana de Magalhães Brandão), Baronesa de Porto Novo, n. 1846, RJ, f. 1890, “talvez irmã de Benjamim Constant”, com pelo menos (AL, AP, Ig, QT.46 e TC.2.348, 362):

2.1 Dr. Luís de Souza Brandão, n. 1861, Cantagalo, f. 1961, médico, presidente da Câmara, industrial e cafeicultor na Fazenda Propriedade, em Matias Barbosa, MG, cc. Florentina da Costa Lage, de Juiz de Fora, MG, deles procedem os Sousa Brandão dessa Cidade. (Ig).

2.2 Luciano de Souza Brandão, n. 1870, São José do Além Paraíba, MG, residente na Providência, Leopoldina, MG, c. 1894, Carmo, RJ, com Eliza Lorena, n. cerca de 1873, Carmo, f. de Maximiano José de Lorena, comerciante no Carmo em 70, e Maria da Glória Lorena (AL e Ig).

2.3 Carlos de Souza Brandão. (Este e os 2 irmãos abaixo constam do Vol. XV do Anuário do Museu Imperial, conforme pesquisa do amigo, genealogista, Pedro Wilson Carrano Albuquerque).

2.4 José de Souza Brandão. Um Dr. José de Souza Brandão era advogado em Cantagalo em 1882 (AL).

2.5 Luciana de Souza Brandão.

1.6 Capitão Felício de Souza Brandão, n. por volta de 1936, Nossa Senhora Aparecida, Sapucaia, cafeicultor em Euclidelândia de 1864 a 85, onde era proprietário da Fazenda Palmital, e em Itaocara em 69, c. 1857, na Fazenda Boa Esperança, com Rita Martins Lontra Brandão, n. 1841, São Salvador, Campos, RJ, f. do capitão Rafael Inácio da Fonseca Lontra e Rita Maria Martins da Fonseca Lontra, com pelo menos (AL, EPC, MP, TC.1.182, 219, 335 e 2.362):

2.1 Emília de Souza Brandão (vide Nota nº 1, no rodapé), n. 1869, Itaocara, f. 1946, Rio, cc. o doutor Joaquim Luís Monteiro de Barros (filho dos Barões de Santa Alda), que havia sido casado 1ª vez com de Tereza Monteiro de Barros, f. 1887, Além Paraíba, MG, sem geração, e que faleceu antes da 2ª esposa, da qual teve (Site Family Search, MP e Maurício):
- Obs.: Parte das informações sobre este casal (bem como toda a sua geração), foi gentilmente enviada pelo amigo, genealogista, Maurício José Monteiro de Barros
, do Rio de Janeiro, RJ.

3.1 Mário Monteiro de Barros, funcionário da 3ª Divisão da Estrada de Ferro Central do Brasil, c. Rio, com Carmen São Paulo Monteiro de Barros, f. de Artur Pacheco de São Paulo e Ida Satamini de Oliveira São Paulo (da conceituada família Satamini, de Pelotas, RS), np do engenheiro doutor João José de São Paulo, n. 1846, Rio, que foi diretor da mesma ferrovia, e Artemisa Praxedes Pacheco, com: Antônio Monteiro de Barros, Mário Monteiro de Barros, Carmen Monteiro de Barros, Mauro Monteiro de Barros.

3.2 Alda Monteiro de Barros, c. 1ª vez, com Júlio Alvarenga e, 2ª, no Rio, com Frederico Enz, sem geração deste. Teve do 1º marido: Oswaldo Alvarenga, Nadir Alvarenga, Yolanda Alvarenga, Ondina Alvarenga, e ainda:

4.1 Edith Monteiro de Barros Alvarenga, c. 1ª vez, com Américo Monteiro de Barros e, 2ª, 1935, com o doutor João Batista Hegendorn, cirurgião-dentista, de família de Cantagalo, com geração deste.

4.2 Beatriz Monteiro de Alvarenga, cc. o 1º tenente, depois capitão Oscar Saraiva Batista, n. 1905, com geração.

4.3 Alda Alvarenga, cc. seu primo Stênio Sales Monteiro de Barros, adiante.

3.3 Oscar Monteiro de Barros, funcionário da Alfândega do Rio de Janeiro, c. 1ª vez, com Maria Sales (Ninita) e, 2ª, 1924, com Iracema Ballard, f. de Edgard Ballard e Ermelinda Pinto Ballard, com um filho de cada esposa: 

4.1 Stênio Sales Monteiro de Barros, cc. sua prima Alda Alvarenga, acima.

4.2 Ney Monteiro de Barros.

3.4 Ondina Monteiro de Barros, c. 1916, com Fernando G. Alderete, funcionário da administração do Porto do Rio de Janeiro, f. de Antônio e Ana Alderete, espanhóis, com: Fernando Alderete, Valdir Alderete, Maria Isabel Alderete, e ainda:

4.1 Osanir Alderete, cc. Lírio Barreto, com geração.

3.5 Osmar Monteiro de Barros, cc. Anair de Mendonça Monteiro de Barros, f. de João Mendonça e Angélica Mendonça, com: Joaquim Luís Monteiro de Barros, Gilda Monteiro de Barros, Almir Monteiro de Barros, e ainda:

4.1 Oneide Monteiro de Barros, cc. José Guimarães de Pinho, f. de Abel Marquês de Pinho e Henriques Guimarães de Pinho, com geração.

4.2 Nisete Monteiro de Barros, cc. João Abrahão, com geração.

3.6 Odete Monteiro de Barros, cc. Joaquim Pereira Bento, com: Maria Emília.

3.7 Yolanda Monteiro de Barros.

2.2 Rita de Souza Brandão, c. 1880, Itaocara, com seu primo Jacinto Augusto Pinto Filho, n. e b. 1858, Euclidelândia, f. do capitão Jacinto Augusto Pinto (Lontra?) e Rosa Martins Lontra Pinto (Ig e MP).

2.3 Lucinda de Souza Brandão (hipótese), c. após 1884, com Luís de Souza Breves Sobrinho (2ª esposa), f. de Joaquim Luís de Souza Breves, f. 1892, Porto Novo do Cunha, e Maria Clara de Moraes, com 8 filhos que estão na Genealogia dos Souza Breves, na Internet, entre eles: (Aqui recebemos grande ajuda do amigo, genealogista, Maurício Prado, brasileiro, residente em Lucca, Itália).
- Obs.: Talvez seja a mesma Lucinda de Souza Breves, n. 1866, f. 1898 (Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento de Além Paraíba).

3.1 Horácio de Souza Breves, n. 1897, Além Paraíba, MG, c. 1924, Campos Elísios, Resende, RJ, com Francisca Rizzo, n. 1897, nesta localidade, f. de Nicolau Rizzo e Maria Francisca Antunes de Siqueira (Pesquisa de Maurício Prado, em Agulhas Negras, Campos Elísios).

2.4 Josefina Brandão da Fonseca, brasileira, f. Cataguases, MG, cc. o capitão Manuel Cândido da Fonseca, brasileiro, f. Serro, Minas Gerais, com pelo menos (Ig):

3.1 Olinto Brandão, n. Serro, f. RJ, cirurgião dentista, c. Ubá, MG, com Januária de Castro Brandão, n. Ubá, residente em Cantagalo, f. de Vicente Serafim Martins de Castro, agente, e Teresa Januária de Castro, brasileira, residentes em Guiricema do Rio Branco, MG, com:
- Obs.: A geração deste casal foi gentilmente enviada pelo seu bisneto, o amigo, genealogista, Sérgio Janini Brandão, de Araçatuba, SP.

4.1 Olinto, cc. Antônia Monteiro da Gama.

4.2 Gorasil, cc. Maria José Peixoto.

4.3 Dr. Wellington Brandão, n. 1894, Visconde do Rio Branco, MG, f. 1965, Passos, MG, foi pecuarista, advogado, promotor público, poeta, escritor, contista, cronista e ensaísta, membro da Academia Mineira de Letras e Deputado Federal Constituinte em 1946, cc. Maria Silva de Araújo Moreira.

4.4 Alaíde, cc. Francisco Alvim Carneiro.

4.5 Adail, cc. Gladstone de Faria Alvim.

4.6 Natail, cc. Alexandre Grangier.

4.7 Vitail Brandão, n. 1899, Cantagalo, RJ (Ig), cc. Antônio Loureiro Salazar Pessoa.

4.8 Stella, cc. Moacyr Resende Campello.

4.9 Maria de Lourdes, cc. Adamo Recchioni.

1.7 Dr. Francisco de Souza Brandão (ou Francisco Antônio de Souza Brandão), comendador, médico e dono da Fazenda Paraíso, em Jamapará, até 1869, quando a fazenda já pertencia aos seus herdeiros, juiz de paz em Aparecida de 1848 a 59 (AL e TC.2.362).
         
Um doutor Francisco de Souza Brandão vendeu muitas terras para diversas pessoas que registraram em Nova Friburgo, em 1856, a saber: terras no Santo Antônio, a Francisco José Rodrigues e a Manuel Francisco Gonçalves; a Fazenda do Monjolo a Joaquim (...) de Araújo e a José Leopoldo (...); outras terras vizinhas a Manuel Francisco Gonçalves e (...) José de Araújo, para (...), outras na Fazenda Monjolo a (...) de Araújo, vizinhas de José Leopoldo (...), José Joaquim do Vale, Manuel Joaquim de Araújo, Joaquim Antônio Pereira e Francisco José Gonçalves; terras denominadas Canjiquinha a Francisco José Gonçalves, vizinhas de Bartolomeu José de Araújo, Manuel José Gonçalves; terras no Ribeirão que vêm do Monjolo, no Santo Antônio, a Manuel Fernandes Pinheiro (AP).
          Poderia ser o mesmo Francisco de Souza Brandão, cc. Teresa Maria de Jesus, com pelo menos (Ig):

2.1 Maria de Souza Brandão, n. 1855, brasileira, c. 1876, com José Leocádio de Carvalho Filho. 

1.8 Ladislau de Souza Brandão (hipótese), c. 1855, Cantagalo, com Isabel de Paula Macedo (CBG).

1.9 Major Carlos de Souza Brandão, juiz de paz, fazendeiro e delegado em Aparecida, em 1848 e 54, nessa época freguesia do Município de Magé, RJ, em 53 solicitou Comenda da Ordem de Cristo (AL e BN).

1.10 Rufino de Souza Brandão (hipótese), testemunha de casamento em Cantagalo em 1847 (HB).

1.11 Lucinda Maria de Souza Brandão, que recebeu terras de herança, denominadas Nova Esperança, em Aparecida, registradas em 1856, juntamente com as que o seu marido, Tomás Vieira de Freitas, comprou de Augusto de Souza Brandão, na Fazenda Monte Café e parte na Fazenda Santa Rita, confrontando com a Fazenda da Boa Esperança (AP e ajuda do genealogista Sérgio Campante, de Sapucaia, RJ). 

1.12 Sebastião de Souza Brandão, subdelegado e juiz de paz em Aparecida. (Colaboração do genealogista Sérgio Campante).

1.13 João de Souza Brandão, subdelegado e juiz de paz em Aparecida. (Colaboração do genealogista Sérgio Campante) .

 

Ir para: Página Principal,    Índice Geral,    Imigração árabe,    Títulos Perdidos,      Tiradentes    Batch Number,     Códigos e Bibliografia